sábado, 28 de março de 2009

Não lembrem as crianças

Vou contar-vos uma história de quando eu era pequenina, com uns 3 ou 4 anos.

Nesta altura, enquanto a minha mãe ia trabalhar eu ficava com duas primas que já tinham uma certa idade.

Naquele dia, uma delas - já não me lembro qual - estava a descascar ervilhas. Eu que gostava de imitar tudo, como qualquer criança, comecei também a descascar ervilhas.

A certa altura, ela volta-se para mim e recomenda "não metas as ervilhas no nariz!" Foi logo!

Elas pegaram em mim ao colo e levaram-me para a farmácia que é ali a dois passos. A imagem de que me lembro a seguir é a de estar sentada no balcão da farmácia e outra prima, a doutora da farmácia, estar com uma pinça na mão para me tirar a ervilha do nariz.

Por isso, costumo recomendar sempre a toda a gente para não lembrarem as crianças do que "podem" fazer. As crianças já se lembram, por si próprias, de traquinices suficientes.

3 comentários:

José disse...

Pensavas que as coisas entrando por sitios diferentes saiam todas pelo mesmo lado :P

BatRitinha disse...

Que história engraçada, já estou a ver o filme!!! Gostei muito! E tens razão, às crianças deve-se pedir que tenham cuidado. beijinhos!

Gena disse...

Zézito, com aquela idade ainda não se pensa nas consequências.